O vereador Gurita e o prefeito Jabes Ribeiro. Imagem: R2CPress.

O vereador Gurita (PSC) ajudou o prefeito Jabes Ribeiro a ter as contas de 2014 aprovadas nessa quarta-feira (26). Decisão contrária da Câmara de Vereadores tornaria JR inelegível.

Gurita iniciou o mandato atual como líder do governo Jabes na Câmara. Depois de deixar a liderança, disse que assumiria posição “independente”.

Em fevereiro de 2016, saiu do partido de Jabes Ribeiro, o PP, e anunciou pré-candidatura a prefeito de Ilhéus pelo PSC. A independência supostamente virou oposição. Mas, a candidatura de Gurita colaborou para que Ilhéus tivesse dez candidatos a prefeito, maior número da história. O cenário eleitoral fragmentado interessava ao grupo de JR.

Em maio de 2016, durante entrevista coletiva, o próprio Jabes não negou que o então secretário Isaac Albagli poderia disseminar outras candidaturas. Chegou a exaltar as qualidades do aliado de longas datas. “O Isaac conhece política. Ele sabe que é importante. Ele sabe que Ilhéus é uma cidade que tem uma diversidade de pensamento grande. Em Ilhéus acabou o tempo de ser ‘um ou outro'”, disse o prefeito.

As palavras de Jabes ecoaram no discurso de Gurita três meses depois. “Ilhéus não pode ser uma cidade provinciana, onde você tem apenas duas candidaturas ou tem que unir todo mundo contra A, contra B, contra C”, disse o então pré-candidato a prefeito ao radialista Vila Nova – lembre aqui.

A apreciação das contas na Câmara é um ato político. Os vereadores podem ser assessorados por técnicos, porém, tomam uma decisão política. O voto de Gurita favorável a Jabes reforça o boato (nunca provado) de que o professor foi apoiado pelo grupo de JR. O apoio teria ocorrido às escondidas.

Por ser evangélico, o candidato do PSC poderia disputar votos no reduto da deputada estadual Ângela Sousa (PSD), mãe e correligionária do prefeito eleito Mário Alexandre. Esse boato ganhou força por sugerir sentido para uma candidatura que não era autoexplicativa: Gurita trocou uma provável reeleição por uma eleição improvável.

Quando votou a favor de Jabes, Gurita surpreendeu os vereadores da oposição, especialmente Magal. O vereador mais votado em 2012 acreditava que a candidatura do correligionário a prefeito viabilizaria sua reeleição pelo PSC.

Segundo vereadores da oposição ouvidos por este blog, a surpresa de Magal foi maior porque há poucos dias Gurita chegou a dizer que votaria contra a aprovação das contas.