15935166_191972934608808_2087355587_o
Mulher denuncia falta de acessibilidade no MCMV, no Couto.
Um e-mail enviado a redação do FRN, denuncia a falta de acessibilidade a pessoas com deficiência no Residencial Minha Casa, Minha Vida, no Couto, recém-inaugurado na cidade. No texto, a mulher narra o sofrimento para conseguir se locomover no referido condomínio, bem como para se deslocar até o ponto de ônibus.
O programa do governo federal já prevê que pelo menos 3% das unidades atenda a esses critérios legais de acessibilidade, não só a pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, como também a idosos, de acordo com a demanda. Além disso, outra norma é que todas as áreas públicas e de uso comum também estejam adequadas.
Acompanhe o relato da cidadã, diante da situação:
Meu nome é Keilane Santos Machado moro no condomínio Mar e Sol 2, quadra D, bloco 8, apartamento 02. Bem, eu sou cadeirante e meu apartamento não é adaptado para minha deficiência. Já cair no banheiro várias vezes e ainda tenho uma bala alojada no corpo que pode sair e perder a minha vida. Já procurei a Caixa Econômica, que por sua vez, mandou eu ir na secretária, fica me jogando para um lado e para o outro e não resolve o meu problema. Já fui no escritório da construtora eles me disseram que minha casa não foi sorteada pra ser adaptada. Não sei mais o que fazer. Peço a divulgação pelo amor de Deus desse apelo“!