loading...

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Policiais civis prendem acusados de integrar associação criminosa de "piratas" em Belém


Policiais civis da Delegacia de Polícia Fluvial (DPFlu) prenderam, nesta segunda-feira, 24, os irmãos Josiel Chaves da Cruz, 33 anos, de apelidos Josi e Tio Bica, e Rodrigo Chaves da Cruz, de apelido Janeirão, acusados de serem os mentores do assalto seguido de morte - latrocínio - de um tripulante da embarcação de transporte de passageiros "Oliveira Nobre", crime ocorrido no ano passado, em São Sebastião da Boa Vista, na ilha do Marajó. Os acusados tiveram mandados de prisão decretados pela Justiça do município. Eles foram surpreendidos pelos policiais civis enquanto estavam na casa de Josiel, situada no conjunto Tocantins, no bairro Parque Guajará, no distrito de Icoaraci, em Belém.

As prisões são resultado de investigações presididas pela equipe da DPFlu, unidade vinculada ao Grupamento Fluvial de Segurança Pública. Segundo o delegado Arthur Braga, da DPFlu, o crime ocorreu na madrugada de 11 de junho de 2016, durante assalto ao barco, que seguia de São Sebastião da Boa Vista, na ilha do Marajó, para a capital paraense. O dono da embarcação, Moisés Lira Pantoja, de 48 anos, acabou morto no momento da abordagem. De acordo com o diretor do Grupamento Fluvial da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), delegado Dilermando Dantas, os dois homens fazem parte de uma grupo criminoso com atuação no Marajó. “Já tínhamos a preventiva e aí tentamos prendê-los no Marajó, mas só conseguimos aqui em Belém”, disse.

Ainda em 2016, policiais do Gflu prenderam quatro integrantes da mesma associação criminosa da qual fazem parte “Josi” e “Janeirão”. Durante os depoimentos, já na sede do Grupamento Fluvial, em Belém, Josiel e Rodrigo negaram a participação no latrocínio, contudo o delegado Arthur Braga afirma que existem provas evidentes do envolvimento deles. “Encontramos a voadeira utilizada no assalto na casa de Josiel em Muaná”, contou Braga.

O caso - O assalto ocorreu no dia 11 de junho, na vila da Ponta Negra, em Muaná. Os bandidos abordaram a embarcação “Oliveira Nobre” de forma violenta. Eles fugiram levando pertences dos passageiros e as câmeras de segurança da embarcação. Duas lanchas com quatro ocupantes cada renderam a tripulação e os passageiros. O proprietário da embarcação foi atingido por um dos tiros ao deixar sua cabine. Piratas estavam com rosto coberto e após o ataque fugiram no sentido do Rio Capim.
Enviado por walrimar

Nenhum comentário:

Postar um comentário