loading...

domingo, 18 de junho de 2017

ITACARÉ - SINDICATO DISCUTE DIREITOS COM PREFEITO MAS IGNORA PREJUÍZOS EM DECRETO


A prefeitura de Itacaré expediu release noticiando sobre encontro entre o prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio e o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais para discutir uma série de direitos e "avanços" da categoria, na manhã de terça-feira, 6.
Como sempre, a fotografia externou o orgulhoso sindicato com o chefe do executivo e, no texto a velha prosopopeia de "compromisso de garantir sempre a transparência, governar com responsabilidade e manter aberto o diálogo com os trabalhadores, valorizando os direitos dos servidores públicos municipais e oferecendo ao cidadão um serviço com qualidade e eficiência".Claro na "discussão, a prefeitura ainda debateu a pauta de "aprovação do Plano de Cargos e Salários dos servidores, reajuste salarial, equipamentos de proteção individual dos servidores da guarda municipal e outras categorias, insalubridade de alguns servidores e adicionais noturnos, dentre vários outros pontos. E ainda foram obrigados a ouvir sorridentes por parte do executivo que "itens da pauta de negociação já foram assegurados pelo prefeito, enquanto que outros serão discutidos entre o sindicato e secretários municipais". Novo encontro entre o prefeito e os representantes dos trabalhadores está agendado para o mês de julho.
A maior parte da discussão versou no assunto que mais acalenta o sindicato, ou seja , o "repasse da contribuição sindical".
Na versão do texto expedido pela prefeitura , "os dirigentes sindicais agradeceram ao prefeito por manter o diálogo aberto com os trabalhadores e se colocaram à disposição do município para discutir os avanços da categoria sem comprometer com isso a realização das obras e a manutenção dos serviços essenciais". Este finalzinho do texto é uma desculpa oficial de que nada mudará, salvo para piorar a situação do trabalhador.
Quando o assunto é Plano de Cargos e Salários, Antônio de Anízio reafirmou que "estará sempre aberto à discussão com a categoria", mas não titubou em anunciar haverá ampliação do horário de funcionamento da Prefeitura, passando a ser em dois turnos, para oferecer um atendimento melhor e mais comodidade para os cidadãos".
O curioso nessa reunião é que o prefeitura envia release e não cita um único nome de sindicalista, talvez por interesse de mantê-los em sigilo e evitar constrangimentos.
A discussão, como diz o própria semântica da palavra, é apenas uma forma de manter os servidores mudos, enquanto vantagens históricas são degoladas de forma unilateral pelo chefe do executivo, a exemplo do perverso decreto 030-A/2017, que decidiu suspender todas as gratificações, ajudas de custo, funções gratificadas (FG), horas extras, plantões e toda ou qualquer vantagem pecuniária que possam gerar dinheiro no bolso do servidor do quadro efetivo. Publicado na edição 1027 do DI em 30 de maio deste ano.
A justificativa é "plausível" frente à "exacerbação dos valores da folha de pagamento" provocado pelas vantagens que os servidores vem levando com adicionais e gratificações e que ainda, diz o texto, tem "ocasionado sérias dificuldades financeiras para a municipalidade". Em outras palavras, servidor foi decretado como prejuízo, então o debate ficará apenas na protelação das conversas, fato.
Em síntese, tal reunião expeliu cheiro de pelegada, e os servidores mudos e calados por não terem a quem recorrer, apenas observam de longe um sindicato cuja representação é uma mera pantomima.
Marcos Mauricio

Nenhum comentário:

Postar um comentário