loading...

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Polícias Civil e Militar prendem em flagrante agricultor após matar mulher e criança em Anapu


Arma do crime foi apreendida

As Polícias Civil e Militar prenderam em flagrante, neste sábado, 8, em Anapu, sudoeste paraense, o agricultor Francisco Henrique Souza Santos, 26 anos, após ele ter assassinado a tiros de espingarda, a esposa Karina Tavares da Silva e o enteado de dois anos Roni Gabriel Tavares Rodrigues. O crime ocorreu no Travessão de Santana, na estrada vicinal do Buriti, a 7 quilômetros da sede do município, onde eles residiam. O crime ocorreu depois de uma discussão entre o acusado e a mulher. No momento do crime, o acusado estava com sinais de embriaguez. As vítimas ainda foram socorridas. A criança morreu logo em seguida no hospital de Anapu. A mãe do menino foi transferida ao Hospital Regional de Altamira, mas faleceu na manhã deste domingo, 9.
O delegado Rubens Mattoso, responsável pelas investigações do crime, explicou que a prisão de Francisco Santos ocorreu logo após os policiais terem recebido a informação. "Soubemos que as vítimas estavam no hospital e que o suspeito estaria no local do crime. Ao chegarmos ao local, encontramos o suspeito deitado no chão. No local, foram encontrados dez cartuchos de espingarda calibre 20. O acusado havia escondido a arma do crime a 50 metros do local", detalha o delegado. Vizinhos foram ouvidos e contaram que ouviram os disparos.

Na entrada na casa, havia marcas de sangue, sugerindo que a mulher tivesse sido arrastada. A criança estava com uma perfuração transfixante - que atravessou o corpo - na região do hipocôndrio direito (acima da cintura na região das costelas). Já a mãe levou um tiro no braço direito, na região dorsal à direita - entre o pescoço e o tórax - e na mão direita. Segundo o delegado, o agricultor foi autuado em flagrante por homicídio qualificado da criança e por feminicídio pela morte da mulher. Ele não tinha passagens pela Polícia. O preso foi transferido para a Seccional Urbana de Altamira para ficar recolhido à disposição da Justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário