loading...

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Trabalho integrado entre as Polícias Civil e Militar resulta na apreensão de mais de 20 armas de fogo


Investigações realizadas pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) e trabalhos de saturação desenvolvidos pela Polícia Militar do Estado do Ceará (PMCE) resultaram na apreensão de mais de 20 espingardas e nas prisões de dois suspeitos. O trabalho integrado entre as Forças de Segurança levou os agentes à localização de um receptador de produtos roubados e ao paradeiro de um homem suspeito do comércio ilegal de armas de fogo. As capturas ocorreram, nessa terça-feira (29), na cidade de Croatá – Área Integrada de Segurança 14 (AIS 14) do Estado.
O primeiro a ser preso foi um homem identificado como Paulo Ribeiro de Pinho (41), conhecido como “Paulinho Emídio” e que responde por receptação, associação criminosa e adulteração de sinal identificador de veículo automotor. Ele é apontado nas investigações realizadas pela Delegacia Municipal de Guaraciaba do Norte (responsável pela região de Croatá) como sendo o receptador de um dos objetos subtraídos no roubo cometido em um posto de combustível da cidade, em julho deste ano. O infrator foi abordado em sua residência, na localidade de Volta Rio, onde os agentes de segurança encontraram um celular, fruto de roubo da ocorrência do posto, e uma espingarda.
“Paulinho Emídio” foi preso em flagrante por receptação combinada com o crime de posse ilegal de arma de fogo. Então, a partir de sua prisão, os policiais receberam informações sobre a localização de mais armas e de um homem suspeito de comercializá-las para criminosos. Dando continuidade às diligências, os militares chegaram a um imóvel situado na localidade de Irapuá, zona rural de Croatá. No local, foram apreendidas 20 espingardas de fabricação artesanal, 50 estojos de calibre 28 e outros materiais, como espoleta, pólvora e chumbo.
A casa onde o arsenal foi apreendido pertence a Gonçalo Bezerra Leite (58), que não possuía antecedentes criminais e foi preso em flagrante por comércio clandestino de armas de fogo. Em depoimento, o homem disse à Polícia que utilizava as armas para a caça de aves – atividade também proibida com base na Lei dos Crimes Ambientais.
As diligências de ambos os flagrantes foram efetuadas por policiais militares, a partir de investigações realizadas por policiais civis. Os trabalhos de apuração continuam no sentido de aprofundar as informações sobre a comercialização de armas por parte de Gonçalo Bezerra, bem como para identificar e capturar os envolvidos no assalto ao posto de combustíveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário